Este blog tem a pretensão de ser um espaço democrático destinado à publicação de textos, informações, artigos científicos, divulgação de eventos e comentários a respeito dos campos da Educação do Campo de Senhor do Bonfim e região, com ênfase aos estudos e conhecimentos pedagógicos locais. O blog é coordenado pelo Prof. José Carlos R.Feitosa (reisfeitosa@hotmail.com), a partir do exercício de sua função como educador e estudioso do fazer pedagógico. Sejam bem vindos!

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO (200H) / ESPECIALIZAÇÃO (360H) EM PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA PARA ESCOLAS DO CAMPO NO ESTADO DA BAHIA-2014


Com os objetivos de apresentar o PRONACAMPO e a ação Escola da Terra como uma política de formação de professores no eixo 1 de Gestão e Prática Pedagógica, o projeto do Curso de Aperfeiçoamento/ Especialização em Pedagogia Histórico-Crítica, aconteceu de 02/10 a 19/12/2014 em 6 polos distribuídos em varias regiões do Estado da Bahia, sob a coordenação da UFBA.

1.1POLO I – CAMPO ALEGRE DE LOURDES
Formadores responsáveis: Jose Carlos Reis Feitosa, Maria Mércia Rodrigues e Ângelo Lopes Marques
1.2POLO II – CAMPO FORMOSO
Formadores responsáveis: Magnólia Pereira dos Santos, Maria Mércia Rodrigues, Railda Sousa e Leidinalva da Silva Gonçalves Caldas
1.3POLO III - EUCLIDES DA CUNHA
Formadores responsáveis: Gilda Maria Cunha Pereira e Raphael dos Santos
1.4POLO IV - FEIRA DE SANTANA
Formadores responsáveis: Kátia Oliver Sá
1.5POLO V - VITÓRIA DA CONQUISTA
Formadores responsáveis: Leda Lucia da Rocha Silva, Marcos Paiva Pereira e Geiza Alves Fonseca Souza
1.6 POLO VI - XIQUE-XIQUE
Formadores responsáveis: Clenildo da Cunha Peixinho e Reinaldo Moreira

Escola da Terra, um lugar para lutar...
Durante sua trajetória nos caminhos da Educação do Campo, busque trilhar as veredas que os conduza a valorização do homem trabalhador do campo, este por si só guerreiro e lutador que constrói esse País com sua enxada e  sua determinação.
Agora você, professor da Pedagogia Histórico-critica também és um trabalhador do campo, e em suas mãos está a luta pela valorização e o respeito ao homem do campo, a escola do campo e a educação de qualidade.
Que esta garrafa, agora em suas mãos, com alguns dos frutos do campo, sejam guardadas com carinho, para que num futuro próximo possamos lembrar que  as sementes da  “Escola da Terra”, unida a “Pedagogia Histórico-critica”  foram transmitidas nesta formação e que dependerá de cada cursista (professor)faze-las germinar em solos férteis com a Educação do Campo.
Um abraço do Formador: José Carlos Reis Feitosa

Campo Alegre de Lourdes, 19 de dezembro de 2014

Breve resumo da conclusão da formação em Campo Alegre de Lourdes pelo formador José Carlos Reis Feitosa:

CONSIDERAÇÕES FINAIS/SUGESTÕES

Alguns pontos se repetiram desde o primeiro modulo, como infra-estrutura e recursos que foram merecedores de reflexão, mas que não tiraram o êxito do trabalho.
O IV modulo, foi muito prazeroso por contar como sendo o momento final de curso, porem na certeza de que ainda há muito o que estudar e a concluir deixo aqui simplesmente minha posição com relação a alguns pontos:
a)    Nunca uma formação me acrescentou tanto a uma ampliação de meu universo psíquico. Graças ao conteúdo explorado e “malhado” tenho melhores condições de concluir meu mestrado com elevado grau de síntese e de domínio de conduta adquirido;
b)    O tema humanização, presente em toda base teórica apresentada e estudada com afinco nos fez refletir sobre o verdadeiro papel da escola e da educação para as futuras gerações. Também para uma tomada de decisão a cerca do contexto que se encontra nossa educação na atualidade para a contextualização desse processo humanizante;
c)    A compreensão da unidade das teorias Pedagogia Histórico-critica e a Psicologia Histórico Cultural que no curso da Escola Ativa não se apresentou de forma muito clara;
d)    A importância da reflexão sobre o que foi feito da nossa educação com a introdução das pedagogias do apreender a aprender e todas as consequências por elas efetuadas;
e)  A analise sobre os conceitos do cotidiano e do senso comum não incidirem sob o desenvolvimento do psiquismo da mesma forma que os conhecimentos científicos e o entendimento de que só não se desenvolve as funções superiores aqueles que estão desprovidos de condições sociais de vida e educação. E que nesse curso a oportunidade de efetivar esse desenvolvimento foi algo extremamente organizado pela equipe de coordenação da UFBA.
Queremos agradecer mais uma vez a oportunidade em participar desse processo a Ufba, as tutoras e aos cursistas e aguardar o retorno desse momento como frisado anteriormente impar em minha vida !
Obrigado a todos !
José Carlos Reis Feitosa – Formador Escola da Terra